sábado, 14 de fevereiro de 2015

Capítulo 11





Vença a muralha de pedra!





Red não conseguiu pegar no sono naquela noite. Depois da disputa com seu amigo horas atrás, ele se sentiu tão impotente que chegou a cogitar a ideia de abandonar seus companheiros e voltar para casa naquele momento. Não queria voltar e olhar para seus companheiros como um fracassado depois de perder a batalha de ginásio na manhã seguinte. Confiavam tanto nele que simplesmente não podia decepcioná-los.



Pegou suas coisas e partiu para região montanhosa da Rota 03. Não tinha tempo a perder.


                                                        ***


O feixe de luz que entrava pela janela do segundo andar do Centro Pokémon despertou a donzela de cabelos de mel. Finalmente chegara o dia que zarpariam daquela cidade imunda e pré-histórica. Levantou-se animada e trocou sua curta camisola florida por sua vestimenta usual. Então foi até o quarto dos garotos e encontrou apenas Rick alimentando seu misterioso Cubone.



-Por que você não deixou seus pokemons na recepção como todos? – indagou a moça, sentando-se delicadamente sobre a única cama arrumada do cômodo.



-Je ne fais pas confiance. Gosto de dar minha própria ração. Se não o fizesse, ficaria com uma pulga atrás da orelha me perguntando – respondeu, muito ocupado para sequer virar e olhar a menina.



-Cadê o senhor dermatologista? Estou tendo que usar quilos e mais quilos de maquiagem por causa da palhaçada de ontem.



- Não sei, pensei que ele estivesse convosco. –disse, lembrando a si mesmo de tinha achado estranho a cama dele amanhecer arrumada.



Foi quando perceberam que as coisas dele também haviam desaparecido. Olharam um para o outro em pânico. Desceram as escadas do hospital quase tropeçando. Ao chegar ao vestíbulo abordaram vários treinadores perguntando-os sobre o paradeiro de Red: ninguém havia visto-o naquela manhã. Para onde poderia ter ido? Ou... Equipe Rocket! Só podia ter o dedo podre deles, deviam ter contado-o tudo sobre o que se passara no museu.



As portas automáticas se abriram e lá estava um Red acabado: cabelos desgrenhados, roupas enlameadas e uma coleção de arranhões. Cambaleou alguns passos até desabar nos braços de seus companheiros.



- Sabia que deveríamos ter alertado-o, principalmente com o pai dele envolvido... – Red despertava lentamente, ainda meio tonto, ouvindo duas vozes cochicharem próximo.



-Agora não adianta chorara pelo leite derramado. Ele está bem.



Uma leve dor de cabeça até a visão ganhar foco. Não havia parte alguma de seu corpo que não lateja. Nem ele próprio acreditava que houvesse cometido tal loucura, mas por fim achara que valera a pena. Agora tinha pelo menos alguma chance de vencer Brock.



-Você está bem, irmão? – questionou Longdan ao adoentado que assentiu com a cabeça- Demos-lhe um banho e trocamos-lhe suas vestes. Achei que poderia estar com fome, então pedi para trazer seu café-da-manhã para o quarto.



- Obrigado, pessoal. É muito bom saber que posso contar com vocês – disse com um singelo sorriso no rosto.



- Mas afinal, ONDE SE METEU PLEBEUZINHO DE MERDA? CUSTA AVISAR QUANDO FIZER UMA SAIDINHA NOTURNA? – vociferou a garota que liberou de vez toda a atenção que sentiu quando achou que o pior tivesse acontecido.



-Foi mal – desculpou-se coçando a cabeça – resolvi fazer um treino de última hora... Acho que exagerei um pouco.



- Pena que nesse estado você não vai conseguir desafiar ninguém.



- Claro que vou! É agora ou nunca. Faz tempo que não me sinto assim tão confiante. Tenho uma carta na manga.



Red parecia bem confiante para quem sentia tamanha dor. Seus amigos decidiram por não contrariá-lo, sabiam que aquele era seu momento, sobrava apenas a obrigação de apoiá-lo.



Foi depois do meio-dia que partiram. O sol mais intenso do que nunca deixava a cidadela num completo mormaço, os moradores já acostumados nem mesmo percebiam o aumento da temperatura. Os remédios maquiavam as dores de Newhouse, apesar de sentir algumas fisgadas na realização de qualquer movimento brusco.



O caminho até o ginásio era um pouco longe, principalmente por causa da mudança da localização do mesmo que agora se encontrava no topo de um morro rente ao espaço urbano. Na trajetória, deram de cara com o museu municipal fechado para reformas.



- Hum... Os dois não estavam aqui ontem no fim da tarde? – perguntou o do boné, intrigado.



-S-Sim, deve ter fechado hoje... Nem imaginamos o porquê, estava tudo tão normal ontem – mentiu descaradamente a lady. Rick e Leaf prometeram não contar nada sobre a ameaça de morte que os Rockets fizeram a Red na tarde passada, não achavam o momento propicio.



Deram mil voltas no morro de pedra e não conseguiram encontra uma maneira sequer de subir nele. Gritaram na tentativa de conseguir alguma resposta, só que ninguém os ouviu. Teriam que escalar. O desafiante não tinha certeza de que teria forças para subir aquele grande acidente geográfico, porém não iria deixar que essa primeira dificuldade o atrapalha-se.



-Ah, não. Nem pense que vou calejar minhas mãos subindo nisso ai até lá em cima. Fiz as unhas ontem, meu bem. Perdão, estarei esperando vocês no Pokemeon Center tomando meu banho de lama Arceus sabe como essa cidade está acabando com minha pele de bebê. Good Lucky! – deu adeus a patricinha, algo já esperado pelos outros dois.



Os rapazes logo descobriram que a dificuldade não estava simplesmente em escalar, mas sim nos empecilhos que encontravam no caminho até o topo. Rick por pouco não despencou de lá do alto quando tentou se apoiar em uma pedra, que mais tarde descobrira que era um Geodude, e quando ele se balançou quase o derrubara. Red por sua vez sequer conseguia subir mais alguns centímetros, sua força estava esgotada. O pior de tudo era que uma vez lá em cima não se podia desistir, era mais fácil continuar subindo do que descer. Uma queda ali era fatal.



Depois de bastante esforço conseguiram cumprir o desafio e lá estavam eles encarando o ginásio de pedra. Contudo, ainda não tinha passado pelo último desafio até o líder – só que eles ainda não sabiam deste pequeno detalhe. O GYM tinha uma fachada bem peculiar: era como se uns montes de pedras tivessem caído do céu e se empilhado de forma que uma encaixa-se perfeitamente na outra. Bateram no grande portão de ferro, mas não obtiveram resposta (por que não colocam um interfone nessas coisas?). Foi ai que perceberam que elas não tinham fechadura, em seu lugar havia um buraco de forma estranha.



Como iriam entrar? Será que o lugar estava fechado e não sabiam? Não poderia, deveria ter algum tipo de aviso. COMO IRIAM DESCER? O treinador entrou em desespero e começou a andar de um lado pro outro gritando “Tem alguém em casa?”, todavia, Rick estava concentrado fitando alguns rabiscos feitos a tinta na parede. Nela havia um homem em três cenas: na primeira ele estava segurando picareta, na segunda ele estava quebrando a rocha com a ferramenta e na terceira ele segurava uma pedra na mão, o que o professor deduziu que seria um fóssil.



-Red, olha isso. – chamou a atenção do jovem e mostrou as figuras desenhadas na parede- Acho que temos que encontrar um fóssil e colocar naquele buraco na porta para podermos entrar.



-Brilhante! Só que... Como vamos encontrar um fóssil? Não temos equipamento e nem sabemos por onde começar.



Rick já havia pensado em tudo. Retirou uma pokébola do bolso e liberou Cubone.



- Sendo Ground-type creio que você possa sentir se tem algum fóssil dentre essas rochas, certo amigão? – o usuário do capacete de osso assentiu com a cabeça.



E ele estava completamente correto em sua teoria. Cubone fechou os olhos e começou a apalpar as rochas que levantavam a construção, como se realmente pudesse sentir cada átomo daquela antiguidade como se fosse seu. Quando este abriu os olhos eles já sabiam que garantiram a passagem que os levaria para dentro. Com o Bone Club e o Karate Chop do Mankey foi possível extrair o tal fóssil enterrado naquele entulho de pedras.



O fóssil se encaixava perfeitamente no buraco da fechadura, quando colocado lá a porta rangeu e se abriu.



Havia chegado o momento. O interior do GYM de Pewter se assemelhava bastante a uma caverna. O campo de batalha estava repleto de pedras dos mais diversos tamanhos e formas fincadas na areia amarela. Das paredes brotavam pequenas lascas de pedras pontiagudas, um pouco maior e (muito) mais resistente que espinhos de mandacaru, sendo capazes de penetrar tudo aquilo que se chocasse contra.



Brock, agora sem aquele jaleco de enfermeiro, lhe encarava do outro lado com um semblante tão rígido quanto uma rocha, porém não conseguindo disfarça um leve sorriso de animação:



-Bem-vindos ao GYM de Pewter, meus jovens. Meu nome é Brock e sou a primeira pedra no sapato daquele que almeja a Liga Pokémon. – deu as boas vindas o líder de cabelos desgrenhados. – Aqui encontraram um dos mais duros desafios de sua vida, este é o lugar ataque e defesa combinam perfeitamente provando que com determinação vantagens e desvantagens não passam de meros detalhes.



Red pressionou bem os olhos para certifica-se de que enxergava bem.



- Poxa, não acredito, cara. É você mesmo, Brock? Lembra de mim? Sou o Red, neto de Blaine. – sabia que aquele recepcionista lhe era familiar, agora estava tudo explicado.



- Red? Aquele garoto desnutrido que vivia chorando pelos cantos nas reuniões de líderes? Claro que lembro! Nossa, já faz muito tempo.



-Sim, uns quatro anos se não me engano. Você parou de frequentar depois que completou os 10 anos e desde então só vejo o Flint por lá. Afinal, onde está ele? – o desafiante tinha um carinho muito grande pelo pai do seu velho conhecido, em um de seus aniversários ele até mesmo o presenteara com uma Heavy Ball.



-M-Meu pai não mora mais aqui... Na verdade, não tenho notícias há meses. Desde que se divorciou com a mamãe ele começou a se envolver com drogas e essas coisas e um dia simplesmente desapareceu e deixou uma carta dizendo que foi “descobrir novos horizontes”. – cada palavra pronunciada parecia como uma apunhalada pelas costas, ele foi forte o bastante para conter o choro.



Nem Rick, nem Red, decidiram por comentar qualquer coisa sobre o que acabaram de ouvir. Sabiam que aquela era uma situação muito íntima.



- Então, vamos começar logo a batalha? Fico feliz por terem passados pelos desafios até chegar aqui, desde que intensificamos a dificuldade aqui no ginásio são poucos os que conseguem me desafiar ultimamente.



-Intensificaram as dificuldades, como assim? Achei mesmo estranho todo o esforço que tive que fazer só para conseguir uma batalha, levando em conta que esse é o primeiro ginásio. – comentou o garoto.

- Ficou sabendo das últimas pesquisas da Liga? Pois é, Kanto foi eleita como a liga mais easy de todas, chegaram até utilizar a palavra patética na matéria. Então, há algumas semanas a Casa Real nos enviou uma carta formal pedindo para que elevássemos a dificuldade nos GYM.



- Du sens. Faz sentindo – falou Rick pela primeira vez desde que chegaram, ele já estava acostumado a se sentir excluído nesses reencontros de seu parceiro – já que assim a região conquistará novamente seu respeito e valor. Quem quer ser campeão de Kanto quando se pode ser de Hoenn ou Sinnoh? Ninguém lembra no futebol, por exemplo, do vencedor da série B ou C, apenas da A.



- Que bom que compreenderam, assim não ficarão chocados com a regra da casa que diz que o líder poderá utilizar três pokémons e o desafiante apenas dois, porém, os dois têm a oportunidade da troca.



- Mas... Aff! – o moreno sabia muito bem que os líderes têm total liberdade para ditar as próprias regras dentro de seus respectivos ginásios, apesar de algumas vezes elas não serem tão justas quanto deveriam.



-Se não se importa tenho que voltar para o hospital logo, podemos começar? – Newhouse assentiu com a cabeça e Rick se direcionou até a arquibancada – Geodude, dê as boas vindas.



De repente, uma das pedras que estavam no campo de batalha começou a se mover, revelando dois braços musculosos feitos de pedra. A criatura aparentava sonolência, parece que haviam a despertado de um profundo sono. E ela não parecia estar gostando nada daquilo.



 By: Zeablast


-Geodude, o Pokémon rocha. Ele é frequentemente encontrado em estrada e montanhas com parte do seu corpo enterrado, assim passando despercebido aos olhos de treinadores que o confundem com uma pedra. É também caracterizado pelo seu alto poder defensivo, se tornando resistente a maioria dos danos físicos. – informou a pokédex.

O treinador ficou incrédulo com a escolha de seu adversário. Achava que ele viria com um time de pokémons grandes e pesados, características dos Rock-type, mas em contradição pôs em campo um monstrinho de primeira linha evolucionária. Só podia ser uma pegadinha, deveria ser cauteloso em sua escolha.



- Scyther, eu escolho você!



Rocut foi uma grande surpresa para Brock. Além de sua aparência desgastada e cansada, Scyther era um Pokémon em que treinadores teriam bastante receio de usar por conta da sua completa desvantagem ali, algo que não é muito comum quando se é especialista de um tipo que é vulnerável a cinco outros diferentes.



- Você é do tipo ousado, gostei. Então, vou me certificar de que nossa disputa não será monótona. Sandstorm! – iniciou o líder a primeiro round.



Geodude iniciou um movimento esquisito com as mãos, enquanto sincronicamente toda a areia do campo ascendia para depois explodir numa grande tempestade que agora ganhava vida própria. A pedra Pokémon ficou eufórica depois do evento, despertando de vez do seu sono, todavia, Scyther não estava se dando bem ao tentar se livrar daquele monte de areia que lhe atacava como um enxame de abelhas.



Só que os donos da casa ainda não haviam terminado. No meio de toda aquela euforia, algumas pedras voaram de súbito e fincaram no chão dos desafiantes, todas possuíam um brilho fosco especial que só um exímio observador notaria.



- Attention!Cuidado, Red! O Stealth Rock está ativo no campo. – alertou Rick da plateia.



“Que droga”, pensou Newhouse. Aquilo acabava de vez com qualquer estratégia envolvendo troca que pudesse fazer. Seu próximo pokémon estava fadado a derrota. Tinha que decidir logo aquilo antes que seu oponente trouxesse mais de suas surpresas.



-Quick Attack!



Ainda com grandes problemas com a areia maldita que o feria graduadamente, Rocut partiu em uma investida veloz contra Geodude, que bem precavido já tinha preparado um Defense Curl para esses eventuais ataques. Seu treinador sabia que ataques normais mal arranhariam a pedra, porém, sua estratégia consistia em anular o Sturdy antes que ele o surpreende-se.



Calculou mal. Diferente do outro time, Red deixou sua guarda baixa ao se aproximar daquela forma. Logo após o impacto, utilizando inteligentemente seu corpo, rolou como uma roda em um poderoso Rollout, fortalecido pelo ataque anterior, que acertou o gafanhoto em cheio. Se ele não fosse um excelente aviador, não teria escapado das agulhas de pedras que cobriam as paredes do local.



Brock ficou boquiaberto ao perceber que Scyther não havia recebido nem 30% do dano que ele imaginara que sua última jogada causaria, pelo contrário, se não fosse por sua barriga que agora se assemelhava ao um capô de um carro amassado ele teria jurado que seu Pokémon havia errado o golpe.



Rocut vomitou sangue. Seu mestre rapidamente sacou sua pokébola para retirá-lo da batalha o quanto antes, sabia que a cada instante aquela armadura de ferro crescia dele e logo atingiriam seus órgãos vitais, ele não precisava sofrer mais. Em contradição, o gafanhoto lhe lançou um olhar de repreensão e se recompôs. Ele continuaria até o fim.

- Acabe de uma vez com isso, Geodude.



Não havia tempo para pensar, Geodude veio mais uma vez com seu rolo compressor, que ficava mais forte e rápido a cada rodada. Scyther tentou intimidá-lo com seu Leer e depois pará-lo com sua técnica característica, o Cut. Porém, em meio toda aquela tempestade de areia o Rock-type conseguia se esquivar de qualquer golpe facilmente e depois aplicar seu golpe certeiro pelas costas. Red se enganara, a habilidade com que teria de preocupar na verdade era o Sand Veil, muito rara naquela espécie inclusive.



-Estou impressionado na maneira em que seu Pokémon resistiu a dois Rollouts – disse Brock, pensativo – Realmente curioso. Mas infelizmente o trilho dele acaba aqui.



Geodude zarpou como uma bala de canhão para o golpe de misericórdia.



-Vacuum Wave!- bradou.



Scyther cortou o ar com seu par de laminas afiadas, criando uma onda de vácuo potente que explodiu no Pokémon de rocha, eliminando-o da batalha.



-Wow! Que força – parabenizou retornando sua criatura para pokébola, porém ele sabia que aquele inseto não duraria muito tempo- Você resistiu bem aqui, mas agora acabaram os joguinhos. Rhyhorn, demonstre seu poder!



Um rinoceronte de pedra entrou em cena, fazendo toda a construção tremer. Um cume cravado corria ao longo de suas costas, e seu chifre, maior do que a maioria da mesma espécie, denunciava a experiência em combate do guerreiro.






- Rhyhorn, o pokemon rinoceronte de pedra. Esta criatura é reconhecida pelo seu incrível potencial ofensivo e sua defesa considerável, o mesmo só anda em linha reta por conta de suas limitadas pernas que são ineptas para viragens, assim não podendo desviar de obstáculos com facilidade ele derruba tudo que estiver em seu caminho. - informou a pokédex, novamente.



-Esse é dos durões – disse Red, reconhecendo que seria muito difícil sair com seu Bug-type inteiro daquela disputa – mas a velocidade está a nosso favor. Não dê espaço para ele atacar, Vacuum Wave de novo.



-Haha Rhyhorn, Rock Tomb!



Mais uma vez, Scyther criou uma onda de vácuo que trespassou o Sandstorm, enquanto que Rhyhorn, muito lento para desviar, foi acertado em cheio. Porém, colossos não caem por terra facilmente, ele continuou firme apesar do dano sofrido. Abruptamente, ele ficou empinou e em seguida bateu suas patas no chão com força, criando um tremor, o qual foi forte o suficiente para lançar uma enxurrada de pedras no gafanhoto verde, que o encurralaram e depois chocaram-se contra ele deixando-o fora de combate.



-S-Scyther! – gritou, aflito. Ele correu até o Pokémon para verificar se tudo estava bem e depois o recolheu – Muito obrigado, você nos ajudou bastante. Agora está na hora da minha arama secreta.



Red lançou sua pokébola para o alto, liberando seu pokémon de planta. Só que agora ele parecia estar maior e com presas mais fortes, além de que, o bulbo que carregava anteriormente havia florescido em um belo botão de rosa. Bulbasaur evoluíra para Ivysaur.







Ele quase se esquecera: com a entrada de um novo Pokémon do seu lado na batalha o Stealth Rock foi ativado, que junto com o Sandstorm,causou um dano significante para o Grass-type. Porém, esta parecia muito determinada e rapidamente se levantou pronta para encara o brutamontes que tinha pela frente.



-Você acha mesmo que vai conseguir ganhar com um Pokémon vegetal? Estou tão acostumado a lutar contra as desvantagens que essa sua estratégia tosca nem nos fará cócegas – disse o líder, olhando para seu oponente com pena – Rock Tomb.



Rhyhorn repetiu o feito de outrora e lançou uma rajada de pedras contra Ivysaur, que graças a sua boa habilidade em esquiva e a baixa accuracy do movimento conseguiu sair ilesa.



-Não estamos aqui para usar estratégias bobas ou clichês, vamos mostrar que somos tão fortes quanto seus guerreiros feitos de rocha. Take Down!



Ivysaur concentrou tamanha energia em seu corpo que o chão abaixo de suas patas rachou, suas veias pulsavam como se fossem animadas e sua massa muscular triplicou de tamanho. A guerreira cruzou o furacão de areia com grande facilidade e em seguida aplicou seu golpe físico com tanta força em Rhyhorn que o impacto foi capaz de levantar a pesada criatura a alguns metros do chão.



Contudo, aquilo custava um preço, e seu coração logo pagou por liberar aquela quantidade massiva de sangue pelo corpo, sofrendo uma dor aguda.



- Yass! É assim que eu gosto de batalhar. É mesmo uma falta de sorte o seu combatente já está tão desgastado com tanto pouco tempo de batalha e eu não possa mais desfrutar desse espírito quente que vocês têm – disse Brock, cantando vitória - Nos traga a glória com Horn Attack, Rhyhorn.



- Razor Leaf.



O rinoceronte preparado para trespassar o já debilitado coração da plantinha com seu chifre que se equiparava a uma lança de pequeno porte, porém, está se precipitou e atacou com uma saraivada de folhas navalhas que cortaram toda carapaça de pedra que protegia seu oponente, eliminando da batalha instantaneamente.



-É assim que se faz. – comemorou Red com sua Pokémon.



- Impressionante. Você é um dos maiores desafios que já encontrei aqui desde que assumi o cargo, Red Newhouse. - comentou, recolhendo Rhyhorn – Por isso lhe dou a honra de enfrentar meu guerreiro mais poderoso, ele está muito acima dos outros que você acabou de enfrentar aqui. Onix, companheiro, erga-se como uma muralha e proteja a reputação do GYM de Pewter.



Uma cobra impetuosa de pedra que ultrapassava os nove metros de altura ergueu-se no campo. Seu corpo é nada mais do que uma grande coluna de pedras que diminuem de tamanho a medida que se aproximam da cauda, no topo da cabeça havia um chifre que se assemelhava ao ponteiro de um bússola.






- Onix, o pokémon cobra de pedra. Esta criatura é capaz de cavar túneis a uma velocidade de 50 milhas por hora, criando assim tremores pela região que passa. Seus túneis mais tarde são reaproveitados por Digletts para construção de suas casas. - falou a pokeagenda, pela última vez.

Jade já estava em seu limite, tanto a batalha anterior quanto a tempestade de areia estavam lhe consumindo aos poucos e não demoraria muito para esvaecer. Todo segundo perdido era fatal.



-Razor Leaf! – ordenou, antes mesmo do adversário se preparar para a batalha.



Só que o ataque não teve o mesmo resultado satisfatório de outrora, pelo contrário, apesar de ter um corpo colossal a serpente de pedra conseguia fazer movimentos dinâmicos com eles, esquivando com facilidade das folhas cortantes.



- Eu lhe avisei que agora é outro nível. Você precisará ser mais que bom para por essa belezinha aqui no chão – Onix rugiu em resposta – Dragon Breath.



A serpente inspirou profundamente e em seguida exalou um bafo azulado potente que quase tirou Ivysaur da disputa, deixando-a no seu limite e com um pouco de dificuldade para se mover por conta do impacto.



Red ficou apreensivo. Estava óbvio que sua combatente não teria forças para derrotar aquele oponente de nível avançando. Se não podia ser mais forte, teria de ser mais esperto. Retirou de seu bolso um par de óculos vermelhos e colocou-os no rosto. A batalha começava naquele momento.




- Você ainda consegue lutar, Ivysaur? – perguntou, recebendo um grunhido como resposta. – Okay, então vamos tratar de sair com vitória nas mãos.



- Ainda está se iludindo? – falou em deboche – Tenho que admitir que foi um dos meus maiores desafios que já enfrentei, mas não há possibilidades de você passar do meu Onix. Ele é como uma muralha que guarda um império, ninguém a transpõem. Slam!



Onix partiu para dar o bote em Ivysaur, disposto a por um fim naquela batalha com uma forte chicotada de cauda. Porém, Jade se valeu de suas últimas forças para subir na maior pedra do ginásio e a partir dela ganhar impulsivo para saltar sobre a serpente e se agarra em seu chifre.



- Maldito!



- Aprendi com um amigo meu que não há não poder de fogo maior que a estratégia. Durante toda a batalha você controlou toda a disputa com seus ataques de campo, nos consumindo aos poucos. – falava sem pausas, muito confiante – Para sua infelicidade eu também fazer joguinhos. Segura esse combo: Leech Seed e PoisonPowder!



Da flor que crescia em suas costas, jade lançou uma grande semente que instantaneamente brotou em um emaranhado de vinhas que absorviam a energia de Onix continuamente. Depois, uma nuvem de pó púrpura sobrepôs a areia por alguns instantes, deixando o Rock-type envenenado.



A grande serpente ficou longos minutos tentando se livrar da parasita em sua cabeça, sem sucesso. O desafiante estava adorando isso: o Sandstorm havia se extinguido; o lado do adversário ficava mais fraco a cada turno, ao contrário dele, onde o tempo só lhe tornava mais forte.



- Slam, de novo. – insistiu no mesmo ataque.



O Pokémon de pedra ergue sua cauda novamente e atacou a vegetal, presa em sua cabeça, fazendo um movimento de martelo, contudo, o alvo fora mais rápido e desviou no último instante fazendo com que a criatura afligisse a si própria.

  

- Não o deixe escapar. Bind! – bradou Brock.



-Razor Leaf!- vociferou Red com toda força.



Cambaleando por conta do último impacto, Onix tentou prender Ivysaur com seu rabo de pedra, mas para seu azar a Grass-type utilizara inteligentemente sua técnica de folhas cortantes para cortar as estacas de pedras penduradas no teto do ginásio, que caíram como uma chuva em cima da serpente, sendo que uma delas atingiu seu olho esquerdo fazendo com que perdesse a visão e errasse o alvo.



Aproveitando a deixa, Jade lançou pela última vez sua rajada de folhas navalhas, que causando um dano crítico, derrubou o Pokémon chefe da equipe de Brock.

- YASSS!!!! – comemorou enlouquecidamente a vitória, abraçando com toda a sua força sua Ivysaur.



Rick desceu apressadamente da bancada e logo fez questão de parabenizar o amigo:



- Félicitations. Parabéns, cara. – congratulou-o com um apertou de mão – Parece que aquele treinamento realmente fez efeito.



-Obrigado, Rick. É tão gratificante ter alcançado este feito.



Após recolher seu Pokémon, Brock se aproximou do pessoal que mergulhados em grande euforia não paravam de comemorar, aquilo parecia significar muito para eles. Então, tirou do bolso um objeto reluzente de cor cinza, aquela era a Boulder Bagde, a prova de que o treinador saíra vencedor do GYM de Pewter.






- Espero daqui alguns meses, ligar a televisão e te ver disputando a Liga Pokémon. – comentou, sorrindo.



-Pode crer que vai – confirmou com uma piscadela.



Red voltou o caminho todo gritando para os quatro ventos que havia conseguido sua primeira insígnia. Nunca em seu passado ele se imaginara capaz de realizar este sonho, aquele abriria a porta para mostrar o mundo que aquele garoto amedrontado finalmente crescera e agora era capaz de correr atrás dos próprios objetivos.





4 comentários:

  1. Aaaeeeee a primeira batalha de ginásio de Red! Finalmente, o coitado quase se acabou de tanto treinar e ainda teve que subir um morro, eu estaria morta antes de chegar na metade. Meio sem graça a atitude da Leaf cara, se eu fosse o Red ficaria chateado com ela porque aquele era um momento importante para ele e ela nem se deu ao trabalho de ir assistir só por causa das unhas.
    Achei legal esses desafios que você colocou no ginásio, mostra que, diferente do que a maioria dos treinadores pensam, o ginásio serve apenas para testar a força dos pokémons, mas na verdade também avalia a astúcia, capacidade de observação, capacidade de resolver problemas, uma pessoa que nem ao menos consegue entrar no ginásio dificilmente poderá vencê-lo.
    “Red? Aquele garoto desnutrido que vivia chorando pelos cantos nas reuniões de líderes? Claro que lembro! Nossa, já faz muito tempo.” Morri kkkkkk. Ainda bem que o Red não se constrangeu e nem se deixou intimidar porque eu no lugar dele faria isso.
    Como assim Liga de Kanto fácil? Deixa Sabrina ver você falar isso Brock. Sabrina é a mais forte/foda/fantástica/fenomenal líder de ginásio de todos, ela devia estar na Elite dos 4.
    Quase senti o chão daqui de casa tremer com essa batalha de ginásio, sério mesmo. Você realmente conseguiu mostrar Brock como o líder poderoso que ele é assim como a força dos pokémons do tipo rocha. Fico triste ao saber que por ser o primeiro ginásio as pessoas acabem desvalorizando-o. Que Geodude fdp mano, o miserável quase derrubou meu lindo Rocut, deu vontade de invadir a fanfic na voadora. Eu gosto muito do Rhyhorn e do Onix (mais do Rhyhorn) e gostei muito deles da batalha. Gostaria de até falar mais sobre eles mas estou meio sem palavras pra descrever mano, mas eles foram verdadeiras muralhas de pedra e deram jus ao nome.
    Falando dos pokémons de Red, a Jade foi fenomenal, como sempre. Deu uma lição naqueles pokémons, ela é verdadeiramente uma guerreira como aquelas dos tempos antigos. Você conseguiu nos passar uma ótima imagem dela, tipo, tenho certeza que já era adorada por muitos e quem não a adorava passou a adorar depois dessa batalha. Ela é quase um oposto do Red, decidida, segura, forte. Fiquei meio preocupada com o Rocut, apesar de admirá-lo penso se seguir o caminho das batalhas não seria prejudicial pra ele, visto os problemas que tem de saúde, mas enfim, mesmo sentindo dor foi forte o suficiente pra tirar o Geodude e acertar um golpe em Rhyhorn mostrando que além de durão também é orgulhoso.
    Enfim, depois desse loooonge comentário vim te dar os parabéns pelo capítulo Gah, foi uma das melhores batalhas contra Brock que vi até hoje, se não é melhor. Esse para mim foi o melhor capítulo até agora seguido do anterior, o que mostra o quanto você está evoluindo na escrita. Sei que você se esforça muito para isso e pode ficar orgulhoso do seu trabalho.
    Abraços e até a próxima!
    Ps: Ignore os erros de ortografia, estou com preguiça de voltar e ler tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peço 1001 desculpas por estar respondendo seu comentário apenas agora (duas semanas depois), mas acredite: essa é a terceira vez que tento responde-lo, pois as ultimas tentativas não deram certo, e meu tempo esteve bastante ocupado nas últimas semanas.

      Sabe, eu sempre parabenizei a franquia pelos incríveis mecanismos de desafios encontrados no GYMs nos jogos, mas nunca tinha visto os mesmos sendo explorados no anime, mangá ou fanfics (a não ser em raras ocasiões). Para mim, como você mesma citou, os GYMs são desafios muito mais para os treinadores do que para os pokémons, pena que isso geralmente não fica explicito, por essa razão quis fazer diferente.

      Eu também não acho a Liga de Kanto fácil, pelo contrario, os Leaders que mais admiro estão nesta região. Porém, é claro que eles sempre ficaram meio ofuscados pela pouca variedade de pokémons e estratégias que tinham disponibilidade. E achei super interessante você tocar nesse estereotipo criado para os primeiros líderes de que são sempre fortes e fracos. Errado. Eles são tão valentes e habilidosos como qualquer outro.

      Sim, a Jade faz um constaste bacana com o Red. Ela é forte e segura, e como foi mostrada em seu Memories, ela já tem um instinto nato de liderança. Ela será a primeira a entrar na batalha e a última a sair Isso será essencial para segurar a barra até mesmo quando seu próprio mestre cair.

      Fico feliz por você ter gostado tanto desse episódio, as batalhas definitivamente não são o meu forte, mas parece que sair com o dever cumprido.

      Valeu Carl, ate mais :D

      Excluir
  2. Parabéns pelo cáp cara,essa luta foi mortal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eae Sir Naponielli, tudo bem?

      Obrigado pelo elogio e fico feliz por saber que você gostou desse debut do Red nos ginásios. Eu não quero trazer muitas lutas para história, mas quando eu traze-las vou tentar fazer com que elas sejam épicas.

      Então acho que é só, até mais :D

      Excluir